Escolha uma Página
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é arte-app-1024x256.png

Hebreus 11:1 – ¶ Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.

O termo “fé” tem sido usado e abusado! Na carreira militar existe a “fé de ofício”. No mundo dos documentos jurídicos, o secretário assina e “dá fé”. No jogo do bicho, o usuário “faz uma fezinha”. Para os pesquisadores da prática científica, ter “fé” não significa uma postura tão positiva quanto à de uma “hipótese comprovada pelos dados encontrados”. No mundo da religião, a palavra “fé” tanto pode significar “a atitude que desafia a realidade óbvia”, como pode identificar o comportamento do “místico”, ou a postura daquele que não entrega os pontos mesmo diante da concretude negativa.

O autor da Carta aos Hebreus não caiu na tentação de simplificar o fator que a mensagem bíblica considera essencial. Ele definiu: “A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver” (Hebreus 11:1). Com todo o respeito, é possível afirmar que o texto de Hebreus, sem pedir nenhuma desculpa. Meramente troca o seis pelo meia dúzia…

Ter fé, nos ensina a Bíblia, não deve ser a conclusão lógica de uma exercício racional. A descrição bíblica não cria um elaborado conjunto de axiomas categóricos, que terminam com a expressão “portanto, a fé existe”. O que a Bíblia propõe, pura e simplesmente, é o “salto da fé”, como diria Kierkegaard. A realidade espiritual exposta pelos escritores bíblicos começa pela experiência, lógica da aceitação. “Quando eu ouvi a mensagem do Senhor, eu me atrevi a aceitar e a pôr em prática – e foi só então, foi só quando vivenciei, que eu constatei que a verdade do Senhor é verdade”. A ciência começa com princípios “a priori”. A Bíblia só faz sentido com nossa descoberta existencial “a posteriori”. É por esta razão que a fé, descrita pela Bíblia, afirma que ela é “certeza” do que “esperamos” e é “a prova” das realidades espirituais que nem sequer “podemos ver” com nossos olhos do rosto. Em outras palavras – fé é a vivência real daquilo que nos parece apenas virtual…

Pr. Olavo Feijó – AMOR EM CRISTO